Plano de saúde poderá cobrar de paciente até 40% do atendimento

Novas regras da ANS, publicadas nesta quinta (28/6/2018), aumentam coparticipação de plano de saúde. A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) publicou nesta quinta-feira (28), no Diário Oficial da União. Novas regras para a aplicação da coparticipação e franquia em planos de saúde. Na coparticipação, o paciente paga uma parte de consultas e exames. Segundo a Resolução Normativa nº 433, os pacientes poderão ter de pagar até 40% do valor dos atendimentos. As novas regras entrarão em vigor em 180 dias e valerão somente para novos contratos. A ANS também estabeleceu limites (mensal e anual) para o pagamento de coparticipação e franquia: O valor máximo a ser pago não pode ultrapassar o valor

Como o riso ajuda a melhorar o desempenho no trabalho

Quando você conversa com seus colegas, você acha que está perdendo tempo ou deveria se dedicar mais ao trabalho? O riso pode ser um atalho para formar equipes de trabalho mais fortes e criativas? Muita gente acha que rir no escritório pode dar a impressão de que está "faltando serviço". Discussões que até pouco tempo eram presenciais, realizadas na mesa de um colega, acontecem cada vez mais por e-mail ou programas de troca de mensagens instantâneas. Nesse contexto, o bate-papo pode, muitas vezes, parecer desnecessário. 8 dicas para evitar compartilhar dados pessoais na internet sem perceber É realmente possível ter o emprego dos sonhos? Mas e se, em vez de sinalizar ociosidade, rir com os co

Autogestão exige profissional organizado e chefe desapegado

A ideia de ter um chefe no pé do funcionário oito horas por dia está perdendo espaço para o modelo de autogestão, que reduz burocracias e pode acelerar processos nas empresas. Mas toda mudança vem acompanhada de resistência. “Nossa cultura não favorece a autonomia para o profissional pensar melhor na forma de executar uma tarefa”, afirma Marco Túlio Zanini, especialista em carreiras da escola de administração da FGV. Com isso, diz, essa competência fica “atrofiada”: “Uma equipe muito dependente do chefe é ineficiente”. Para Joel Dutra, especialista em gestão de pessoas da FIA (Fundação Instituto de Administração), existe no Brasil uma cultura de submissão que se reflete no desenvolvimento da

Tecnologia na saúde aprimora formação médica

Tecnologia na saúde: ferramentas permitem treinamento para estudantes e oferecem conteúdos para auxiliar na tomada de decisão na área de médica. Os benefícios proporcionados pela evolução tecnológica também são aproveitados pelo segmento de formação e atualização de profissionais da área de saúde. A MedRoom, de Vinicius Gusmão e Sandro Nhaia, é um exemplo. Usando realidade virtual e estratégias de gamificação, a empresa desenvolveu produto que ajuda a melhorar o treinamento de estudantes. E profissionais da saúde, reduzindo custos com aulas práticas. Mesmo em finalização, a solução é usada por duas instituições de ensino superior. Para viajar pelo corpo de Lucy, modelo anatômico inserido no

Hospital Santa Catarina investe R$ 5 milhões em centro cirúrgico

Além da inauguração do espaço exclusivo no Hospital para o centro cirúgico. O investimento engloba a aquisição do equipamento Azurion, da Philips, e a ampliação da estrutura física do local. R$ 11 milhões foram aportados recentemente na compra do primeiro robô cirúrgico da Instituição O Hospital Santa Catarina, pertencente à Associação Congregação de Santa Catarina. Mantém no radar os investimentos em modernização e anuncia o aporte de aproximadamente R$ 5 milhões. Para inaugurar o novo centro cirúrgico especializado em procedimentos minimamente invasivos. O espaço contará com o equipamento Azurion, da Philips. Que permitirá à equipe médica contar com uma plataforma de terapia guiada por ima

Desperdícios na medicina privada elevam o custo da assistência médica

Custo na Saúde: na guerra entre hospitais e operadoras de planos de saúde, as balas perdidas alcançam os financiadores do sistema. Enquanto os desperdícios ocorridos na medicina privada elevam o custo da assistência médica na folha de pagamento dos empregadores. Os beneficiários de planos coletivos ou individuais sofrem com reajustes elevados e danos à saúde. Submeter uma pessoa a um procedimento desnecessário é uma fraude gravíssima. É um crime de lesão corporal difícil de tipificar porque sempre há opiniões diferentes. Usar uma agulha de R$ 5 quando outra de R$ 0,50 faz exatamente o mesmo efeito. Não é fraude, mas é um baita desperdício - afirma José Cechin, diretor-executivo da Federação

Medicina de precisão, o novo caminho da oncologia

Tratamento vai se adequar ao paciente, não o oposto Passou a era em que o mesmo tratamento oncológico servia para todos. Já percebemos há tempos que somente alguns pacientes aproveitavam a eficácia das terapias tradicionais. A tecnologia confirma que o câncer é muito mais complexo do que se imaginava, com distinções marcantes dos mesmos tipos de tumor entre os indivíduos. Estudos recentes em pacientes com câncer de vários sítios primários, como rim e mama, mostram que existem alterações moleculares e mecanismos de crescimento diferentes, invasão e metástases distintas, dependendo da área em que é feita a biópsia do tumor. São como digitais, específicas de cada indivíduo. Este foi o tema

Cirurgia robótica faz ginecologista buscar reciclagem e curso no exterior

Tem menos de dez anos que a ginecologista Isabela Barbosa, 36, se formou em medicina, mas desde então sua área já passou por grandes transformações. Na residência, ela se especializou em operações por videolaparoscopia, menos invasivas que as convencionais. Pouco depois, surgiu a cirurgia robótica e ela se reciclou novamente, em um treinamento que envolveu simuladores e curso no exterior. Hoje, Isabela maneja um robô no Hospital 9 de Julho e conduz, sem encostar no paciente, cirurgias complexas. "O equipamento tira o tremor natural que todo mundo tem nas mãos. E a câmera projeta a imagem em 3D, o que nos permite enxergar e preservar estruturas delicadas", explica. Ela acrescenta que o robô n

Como a logística hospitalar pode somar para a 4ª revolução industrial na saúde

Automação e tecnologia já garantem economia para instituições de saúde. E segurança para os pacientes, revolucionando a saúde e elevando o serviço para outra era. A 4ª revolução industrial está em todos os segmentos. Tendo como base a automação como meio de otimização de diversos processos inerentes a produtos e serviços. Na área da saúde, ela apresenta diversas particularidades e cuidados. Que tem ganhado ainda mais destaque com a ajuda da logística hospitalar. Mayuli Fonseca, especialista em supply chain e diretora da UniHealth Logística Hospitalar. Lembra que a área extremamente estratégica para a gestão de custos. Tem no Brasil todos os recursos para potencializar os resultados de instit

Bastam algumas horas à beira do leito para observar riscos em hospitais

A cada três minutos, mais de dois brasileiros morrem em hospitais por evento adverso "Bom dia, seu Carlos? Vamos tomar banho?", disse a enfermeira na manhã da última quarta (16) já retirando o lençol que cobria o paciente. Meu pai, aos 87 anos e se recuperando de um traumatismo craniano causado por uma queda, gritou no leito ao lado: "O médico disse que ele não pode se mexer durante três dias!" Seu Carlos, 67 anos, com câncer de intestino e de fígado, tinha passado por uma extensa cirurgia abdominal naquela madrugada e ainda estava sob efeito anestésico. O corte da operação anterior havia se rompido e foi preciso retirar toda a tela que fazia as vezes de parede abdominal. Trazido ao quarto p

Tecnologia, outsourcing e digitalização: os impactos positivos na área de saúde

A consolidação do uso da tecnologia no setor hospitalar e na saúde como um todo é cada vez mais forte. A partir de indicadores que monitoram o destino de recursos financeiros de Tecnologia da Informação, podemos verificar que os investimentos cresceram nos últimos anos. Tanto o setor, como os profissionais de saúde e os próprios pacientes percebem, hoje, a presença da tecnologia nos processos cotidianos. Um deles é o registro digital dos prontuários médicos. Um levantamento realizado pela consultoria Accenture com 500 médicos revelou que 70% deles têm mais proficiência no uso de prontuários eletrônicos agora do que nos últimos anos. Além disso, 63% dizem que o uso de tecnologia na área de sa

Estratégias empresariais impulsionam práticas em instituições de saúde

Estratégias empresariais impulsionam práticas em instituições de saúde. Métodos de avaliação, otimização de tempo e aproveitamento de recursos se incorporam às rotinas hospitalares. Assim como conceitos de saúde podem ser aplicados em outras áreas, como educação e sustentabilidade. O inverso também tem seus benefícios: cada vez mais a saúde se inspira em técnicas e conceitos empresariais para aprimorar sua aplicabilidade. Termos como SLA (Service Level Agreement – Acordos de Níveis de Serviço), Lean Six Sigma e CRM (Customer Relationship Management). São cada vez mais comuns no dia a dia de hospitais, clínicas e laboratórios. “Emprestados” diretamente do vocabulário de profissionais de admin

MS e Sírio Libanês realizam projeto para reduzir superlotação em hospitais públicos

Projeto Piloto começou há um ano em seis hospitais do SUS, já apresentou melhorias significativas. Por meio da capacitação na metodologia “Lean” Agora, ele será ampliando para outras 100 unidades em todo o Brasil. Projeto do Ministério da Saúde, implementado pelo Hospital Sírio-Libanês. Mostrou-se eficaz em reduzir a superlotação e melhorar o atendimento em emergência, de hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde-SUS. Batizado de “Lean nas Emergências”, o projeto faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS). Para o triênio de 2018 a 2020 e visa a promover melhorias. No atendimento hospitalar de urgências e emergências da população brasileira que

Em 10 anos, triplica os usuários de planos de saúde com coparticipação

Está no seu contracheque ou na fatura que chega a cada mês. Uma consulta saiu por taxa extra de R$ 35. A ida ao pronto-socorro, por R$ 50 ou até 30% do valor total. Cobrados à parte da mensalidade, valores como esses, maiores ou menores conforme cada contrato. Têm sido mais comuns nas contas de quem usa planos de saúde. Em pouco mais de uma década, o número de usuários de planos que dividem com o cliente. Parte das despesas por atendimentos passou de 8,3 milhões, em 2007, para 24,7 milhões, neste ano. É o caso, principalmente, de planos com coparticipação. Modelo em que o usuário paga valor fixo ou percentual por cada atendimento, e de alguns com "franquia". Quando o plano não é obrigado a c

Modelo de OS na saúde avança com menor custo, mas ainda é polêmico

Parceria de OSs- Organizações Sociais com poder público completa 20 anos no país. Ao completar 20 anos, o modelo de parceria entre o poder público e as Organizações Sociais (OS) está sob escrutínio de uma CPI na Assembleia Legislativa de São Paulo. Que investiga irregularidades em serviços prestados em hospitais e unidades de saúde estaduais. Criado por lei federal em maio de 1998, esse modelo está presente em 24 estados e mais de 200 municípios do país. Tornando-se uma das principais alternativas de gestão no SUS. São Paulo foi o primeiro estado a adotá-lo, ainda em 1998. Hoje existem cerca de 8.400 contratos de gestão (envolvendo estado e municípios paulistas). Por meio do qual o poder púb

Modelo hierárquico de liderança não serve mais

Autoridade tem que ceder espaço à participação e à influência Para conversarmos sobre o papel das lideranças na atualidade, em organizações públicas e privadas, assim como em grupos e comunidades, precisamos voltar um pouco no tempo e relembrar brevemente a história da liderança. Na época antiga, os grandes líderes eram figuras que recebiam essa atribuição advinda dos deuses, aliás, os próprios deuses eram os líderes. Um pouco mais à frente, a definição de liderança passa a ser atrelada à nobreza, aos nomes e títulos que eram merecedores de tal responsabilidade. Algo do tipo: Se você era de família X, considerada nobre e influente, você então teria o direito de assumir um povo, uma cidade, u

Para reduzir diesel, governo corta no SUS e na Educação

Redução de despesas chegará a R$ 3,4 bilhões; R$ 80 milhões irão para desobstrução de rodovias. Para compensar o subsídio de R$ 9,6 bilhões à redução do preço do diesel e a redução de tributos incidentes sobre o combustível. O governo tomou medidas que, na prática, elevarão a arrecadação de impostos de exportadores, indústria de refrigerantes e indústria química. Ainda foram reduzidos recursos, por exemplo, para programas ligados às áreas de saúde e educação. Ao lado da aprovação da reoneração da folha de pagamento, que já foi votada na Câmara, as medidas permitirão um ganho de R$ 4 bilhões. O que compensará as medidas que reduzirão a tributação do diesel: a isenção da Cide e a redução de R$

Posts Recentes
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2018 por W3alpha

  • Facebook Clean
  • LinkedIn
  • Google+
  • Instagram