Tendência na Saúde: Novos Modelos de Remuneração

Membros da Câmara da Saúde do CRA-RS se reuniram com o presidente da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul (FEHOSUL), Dr. Cláudio José Allgayer para discutir as inovações no setor e a profissionalização da gestão das instituições de saúde

Ser uma forma de ligação entre o mercado de trabalho e o profissional de Administração oferecendo informações e conhecimentos necessários para qualificar a Administração da Saúde. Essa é a missão da Câmara de Saúde do CRA-RS que visa discutir temas do setor, trocar informações e buscar soluções estratégicas para qualificar a gestão na saúde.


A presidente do CRA-RS, Adm. Claudia Abreu, destacou a importância dos debates principalmente quando eles são compartilhados e disseminados em outros meios. O coordenador da Câmara, Adm. Alexandre Andara, exaltou a satisfação em receber ícones da saúde dentro do Conselho e estar unido com uma equipe atuante no mercado nas áreas da saúde nos mais diversos setores. “A relação entre instituições públicas e privadas deve caminhar junto. É fundamental desenvolver um trabalho para qualificação da área”, disse, acrescentando que desde os anos 90 a gestão na saúde evoluiu muito, mesmo que ainda haja bastante a melhorar. A presidente Adm. Claudia complementou que muitos esquecem que a Administração faz parte da área da saúde. O presidente da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul (FEHOSUL), Dr. Cláudio José Allgayer discorreu sobre sua trajetória na área, contando que se graduou em medicina em 1973, mas quando entrou na universidade dividia seu tempo com a graduação em filosofia, a qual deixou para trás a partir do terceiro ano. “Participei de um programa do governo americano e fiquei 20 dias estudando Planejamento em Saúde, era uma verdadeira imersão no curso”, lembrou, apontando que na época ele pretendia fazer pediatria, mas depois dessa experiência, todas suas vivências foram em relação à Administração de saúde. “Até então não existia essa possibilidade, havia uma única vaga na residência em gestão. Eu nunca cheguei a exercer a medicina de fato.” Acompanhado do Adm. André Gustavo Reif Allgayer, diretor da Faculdade de Tecnologia em Saúde (FASAÚDE), apoiada pela FEHOSUL, o Dr. Cláudio José Allgayer exaltou a receptividade do CRA-RS na cerimônia de formatura do curso superior de Tecnologia em Gestão Hospitalar.

Membros da Câmara de Saúde do CRA-RS juntamente com o presidente da FEHOSUL, Dr. Cláudio José Allgayer e com o Adm. André Gustavo Reif Allgayer, diretor da FASAÚDE


Sobre a gestão em si, ele atentou que sempre quando se fala em administrar estabelecimentos de saúde, se pensa em estruturar corpo clínico, relacionamento e organização interna. “Fomos criados em um modelo chamado ‘Fee For Service’, que remunera a quantidade de serviços produzidos, é independente da qualidade assistencial e tem foco apenas no faturamento e custos”, explicou, defendendo que é preciso disseminar o debate sobre os novos modelos de remuneração no setor da saúde para substituir o FFS. Para comprovar, ele trouxe o dado de que o custo de pessoal em hospitais da ANAP é de 45,8%. “Os filantrópicos gastam ainda mais”, afirmou. A partir disso, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vem discutindo novas possibilidades desde 2009 visando uma mudança estrutural para que gere a sustentabilidade do setor. “Os novos modelos exigem um alto grau de informatização, com dados estruturados, além da integração, participação e gestão do corpo clínico e trabalho com indicadores de qualidade assistencial, segurança do paciente e desempenho financeiro”, analisou.


Membro da Câmara da Saúde, o Adm. Victor Marcelo de Magalhães, expôs que hoje o Administrador nos hospitais é visto como um “super homem”, pois acaba sendo gestor da área médica, resolvendo problemas internos, sem tempo para de fato fazer gestão. “O profissional é triturado dentro das instituições, é preciso ter um sistema que adiante esses processos”, observou.


Já o coordenador da CS, Adm. Andara, questionou sobre os valores da tabela de procedimentos. “Estou há 16 anos administrando hospitais e não aceitam falar sobre isso”, enfatizou.


A Adm. Marcia Brasil, também membro da CS, enalteceu a profissionalização da gestão. “Estamos no caminho certo, é lento, mas isso acontece por ser da área pública, envolver burocracia, mas já houve evolução”, apontou.


O Dr. Allgayer elencou alguns modelos como Diagnostic Related Groups (DRG), uma metodologia de categorização de paciente internado em hospitais de acordo com a complexidade assistencial. “No Brasil já são 14 anos de desenvolvimento, 7 anos de mercado e mais de um milhão de altas hospitalares avaliadas”, apontou, acrescentando que encontros como esse só vêm a contribuir para a qualificação da área da saúde.


Fonte: Revista Master CRARS - Edição 155 - janeiro e fevereiro de 2018.



Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2018 por W3alpha

  • Facebook Clean
  • LinkedIn
  • Google+
  • Instagram