Falar em público: como dominar essa habilidade?

Pesadelo para uns, sonho para outros: falar bem em público é uma habilidade que desperta ambas as sensações.


Pesadelo para uns, sonho para outros: falar bem em público é uma habilidade que desperta ambas as sensações. No entanto, a forma como têm acontecido as relações de trabalho demonstra que, gostando ou não, é essencial desenvolvê-la e aprimorá-la constantemente.


  • Quais fatores podem estar atrapalhando a sua apresentação?

O que nem todos estão cientes é que o medo de falar em público (que transforma situações de exposição de fala em pesadelos para alguns) é o sinal mais claro de que é preciso aperfeiçoar essa habilidade, seja através da prática ou seja combinando essa prática à orientação de profissionais, num treinamento em oratória, por exemplo.


De um modo ou de outro, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre como dominar a habilidade de falar em público. O que não resta dúvidas é que, se você quer ingressar e/ou ascender no mercado, terá que saber lidar com essas situações e, mais que isso, se sair muito bem nelas.


Vejamos, então, alguns passos para dominar a habilidade de falar bem em público. Vamos lá?


- Identifique seus pontos fortes e fracos


Assim como acontece em quaisquer outras competências, é de suma importância identificar pontos positivos e negativos nas suas apresentações, para que, dessa forma, você otimize o seu tempo e possa investir naquilo que realmente precisa ser corrigido ou lapidado.


Se você sente medo de situações de exposição de fala, trabalhar o seu lado emocional, na tentativa de romper com padrões negativos, é um dos passos principais. Caso, por outra lado, você se sinta confortável em apresentações, mas não consegue estruturar a sua fala, direcione suas energias principalmente para esse ponto.


- Aprimore a sua dicção


A fala tem uma importância enorme em apresentações, afinal, ela será a ponte entre o conteúdo que você quer apresentar e seu público. Nesse sentido, saber utilizar a sua voz e impulsionar a sua linguagem verbal são tarefas importantes.


No que tange à linguagem verbal propriamente dita, aprimorar a dicção é fundamental.

Uma dicção ruim pode comprometer seriamente o sucesso de uma apresentação, já que interfere na compreensão que o público terá do conteúdo e, ainda, na imagem que esse público fará em relação ao comunicador.


Assim como no tópico anterior, o autoconhecimento é importantíssimo aqui. Identificar problemas de dicção é a primeira etapa para superá-los. Ainda sobre a linguagem verbal, também deve ser uma preocupação do comunicador eliminar ou, pelo menos, diminuir os vícios de linguagem.


- Trabalhe a organização do seu raciocínio


Você provavelmente já escutou, em diferentes contextos, a frase que diz: “o que você diz é um reflexo do que você pensa”, certo? Pois bem, na oratória, esse ditado é bastante certeiro.


Uma fala organizada, interessante e acessível é reflexo de um comunicador que consegue ordenar o seu próprio raciocínio. Ao contrário do que se imagina, esse não é um dom natural, mas, sim, uma competência. Há, inclusive, técnicas direcionadas para a organização do pensamento e a que eu mais indico é a técnica do mapa mental.


- Aprenda a contar uma história


As pessoas que aprendem a contar histórias dominam muito mais a habilidade de falar em público, principalmente quando já têm esse aprendizado incorporado e a criação das narrativas passa a ser algo natural.


Quando eu digo “aprender a contar uma história” não me refiro à habilidade de contar histórias de ficção em grupos de leituras, por exemplo. Na verdade, me refiro à habilidade de apresentar um determinado conteúdo através de narrativas interessantes, que aproximem esse conteúdo do público que o escuta.


- Domine a sua linguagem não-verbal


Nas apresentações em público, há duas dinâmicas em destaque: a falada e a não-falada. A falada engloba tudo aquilo que é conteúdo: a qualidade das informações apresentadas, a organização desse conteúdo, o quão atualizados eram os dados utilizados, entre outros aspectos.


Já a dinâmica não-falada, por sua vez, se refere à linguagem não-verbal do comunicador, ou seja, seus gestos, seus olhares, suas expressões faciais, postura e uso da voz. Dominar a linguagem não-verbal significa, principalmente, equilibrar todos esses aspectos, garantindo que exista uma relação entre conteúdo e a dinâmica não-verbal e que esses dois grandes pilares transmitam a mesma mensagem às pessoas que estão presentes.


Dominar a habilidade de falar em público é uma competência cada vez mais valorizada. Por isso mesmo, se você ainda se sente despreparado em relação a ela, comece a pensar em alternativas para desenvolvê-la e aprimorá-la. Se precisar de ajuda, conte com a nossa equipe!


Fonte: https://www.thespeaker.com.br/aprimorar-oratoria/

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2018 por W3alpha

  • Facebook Clean
  • LinkedIn
  • Google+
  • Instagram